quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

PAPOABERTO


Um mês dedicado as vocações
A cada domingo a celebração litúrgica é dedicada a uma vocação específica Normalmente a própria liturgia da Palavra de cada dia, em especial a dos domingos, dá o tema principal da reflexão e meditação trazida para alimento do povo de Deus. É costume, neste mês, comemorarmos as diversas vocações a cada semana:

Primeiro domingo: é o dia das vocações sacerdotais. Atualmente também se comemora o dia das vocações diaconais, ou melhor dizendo: dia das vocações aos ministérios ordenados. Essa comemoração se deve ao fato de no dia 4 de agosto celebrarmos o dia de São João Maria Vianney, o Cura D’Ars, patrono dos padres; e, no dia 10 de agosto, o dia de São Lourenço, patrono dos diáconos.
Segundo domingo: por imitação do segundo domingo de maio – no qual é comemorado o Dia das Mães – temos o Dia dos Pais. Sabemos que no Brasil esse dia é comemorado porque antigamente no dia 16 de agosto celebrava-se o dia de São Joaquim, pai de Nossa Senhora e, por isso, adotou-se esse dia e depois o domingo para essa comemoração. Devido a esse fato, nesta data é comemorada a vocação matrimonial.
Terceiro domingo: recorda-se a vocação à vida consagrada: religiosos, religiosas, consagradas e consagrados nos vários institutos e comunidades de vida apostólica e também nas novas comunidades. Essa recordação é feita porque no dia 15 de agosto celebramos o Dia da Assunção de Maria aos céus, solenidade que aqui no Brasil é transferida para o domingo seguinte.
Quarto domingo: é nesta data que se comemora o Dia do Catequista, daí a comemoração do dia da vocação do cristão leigo na Igreja, tanto na sua presença na Igreja como também em seu testemunho nos vários ambientes de trabalho e vida. O dia do cristão leigo voltará a ser comemorado no último domingo do ano litúrgico, domingo de Cristo Rei.
Ao participarmos dessas celebrações não podemos nos esquecer da vocação primeira e mais importante de todas: a vocação à vida cristã e, consequentemente, à santidade! Todos somos vocacionados à santidade e fora desse caminho não temos como viver bem qualquer que seja a nossa vocação pessoal.

Um comentário:

  1. Aconteceu anteontem, 31/08/2008 uma linda romaria nacional catequética a cidade de Aparecida em direção a Basílica Nacional de Nossa Senhora de Conceição Aparecida. O interior da igreja ficou lotada durante a missa catequética deste segundo ano catequético em 54 anos de existência da catequese no Brasil. O primeiro ocorrera à 50 anos. Esteve presente arcebispos, bispos, padres, diáconos, e milhares de leigos dedicados a catequese. O Bispo dom Beni se fez presente. Após a missa um lindo espetáculo na Tribuna foi apresentado em forma de música, teatro, dança, expressão os milhares de catequistas que compareceram. A diocese de Lorena se fez presente com dezenas de catequistas da formação para Primeira Eucaristia e Crisma. Lá foi ressaltado, assim como nas diveras comunidades Brasil afora que a catequese inicia-se na família, a importância da intimidade com a Palavra e a vivência desta assim como uma aproximação maior com a Eucaristia. Abraços, prof. Milet.

    ResponderExcluir